Blog da (re)energisa

Vantagens de aderir ao Mercado Livre de Energia

Estudar suas escolhas pode reduzir os riscos na hora de realizar a migração da sua empresa.

Publicada em: 30/11/2023

 Região: 

Região: 

Brasil

A migração para o mercado livre de energia no Brasil pode oferecer várias vantagens para as empresas, dependendo de seus perfis de consumo e estratégias. Contratar o fornecimento diretamente das empresas geradoras, reduzir custos e atingir as metas de sustentabilidade pelo uso de fontes renováveis, são fatores consideráveis para quem quer realizar essa mudança. 

Segundo dados da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (ABRACEEL), este mercado responde por 38% da energia consumida no país. Com os avanços na regulação realizados em 2022, espera-se que mais consumidores migrem a partir de 2024. 

Assim como em qualquer negociação, é preciso analisar as vantagens e os pontos de atenção para contratar a melhor opção para a sua empresa. Para isso, reservamos algumas explicações para que você faça a migração do seu negócio para o Mercado Livre de Energia de maneira segura e eficiente.

Vantagens

É preciso aproveitar os bons momentos do mercado e, principalmente, as boas ofertas. Diferentemente do mercado cativo, o Mercado Livre de Energia permite negociações, e o consumidor, livre por sua vez, não arca com os valores extras das bandeiras tarifárias. 

Sem custo extras com bandeiras tarifárias

As bandeiras tarifárias são aplicadas somente aos consumidores cativos de energia. Já os consumidores livres, por não adquirirem energia das distribuidoras, não são passíveis de cobrança. A bandeira tarifária é um sistema de cobrança regulamentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), cujo objetivo é repassar mensalmente ao consumidor, de forma transparente, os custos adicionais causados pela necessidade de acionamento de usinas termelétricas na geração de energia.  No caso dos consumidores livres, existe uma redução de custos na conta de luz de até 30% em relação ao modelo tradicional

Tempo de contrato e fornecedores

O consumidor livre tem a flexibilidade para escolher seu próprio fornecedor de energia elétrica, e, ao firmar contrato, o comprador tem consciência de quanto vai pagar até o fim do acordo realizado. Isso significa que você pode negociar preço, volume, prazo e forma de reajuste contratual, escolhendo a empresa que atenda melhor às suas necessidades.

Ao negociar contratos diretamente, é possível obter condições mais vantajosas e preços mais competitivos, principalmente para empresas que gastam mais de R$ 10 mil mensais na conta de luz.

Sustentabilidade

O mercado livre oferece a oportunidade de escolher fornecedores que oferecem energia de fontes renováveis, o que pode ser uma vantagem em termos de sustentabilidade e responsabilidade ambiental. Ao comprar energia dessas fontes, os consumidores têm direito a descontos na Tarifa do Uso do Sistema de Distribuição – TUSD ou Tarifa do Uso do Sistema de Transmissão – TUST. Com o uso de fontes renováveis, as empresas fortalecem a reputação no mercado e podem atingir as metas de sustentabilidade, principalmente as de redução das emissões de CO2. Mas, para isso, é necessário a busca por uma consultoria de gestão da descarbonização para trabalhar em conjunto com a equipe responsável pela administração do Mercado Livre de Energia. 

Gestão ativa

Para o consumidor livre, é indispensável um consultor com expertise no assunto para desempenhar melhores investimentos na compra de energia e criar um plano de possíveis riscos dentro da realidade de cada consumidor. 

As empresas que aderem ao Mercado Livre de Energia precisam monitorar e gerenciar seu consumo e demanda energética de perto. Assim, evitarão desperdícios, garantindo o cumprimento dos contratos estabelecidos. 

Contar com a parceria de uma empresa experiente e com tradição no mercado de energia, como a (re)energisa, faz toda a diferença.

Pontos de atenção

É importante saber que a migração para o Mercado Livre de Energia também envolve desafios, como a necessidade de gerenciar contratos, riscos e a possibilidade de flutuações nos preços da energia. Portanto, as empresas devem considerar cuidadosamente sua estratégia antes de fazer a transição e se beneficiar do aconselhamento de especialistas em energia.

Fique atento a:

Variações de preços

Entender a viabilidade de migração para o seu negócio é importantíssimo para entender sobre a sua migração. Ao se colocar nessa negociação, o comprador fica exposto a variações de preços do mercado, diferentemente do sistema tradicional, onde os consumidores irão pagar pela energia que usam. No mercado livre, é necessário comprar energia que vai se consumir, prevendo assim o seu próprio consumo mensal. 

Viabilidade 

Já falamos sobre como funciona o Mercado Livre no Brasil e sobre o que é necessário para realizar a migração. 

Com a Portaria 50/2022, consumidores do mercado de alta tensão poderão comprar energia elétrica de qualquer supridor. A liberalização representa o primeiro avanço em relação ao limite de 500kW, definido pela Lei nº 9.427/1996, ao permitir que qualquer consumidor atendido por Tarifa do Grupo A, independentemente do seu consumo, possa escolher seu fornecedor.

Ainda tem dúvidas sobre a portabilidade para o Mercado Livre de Energia? 
Mande suas perguntas diretamente para os nossos especialistas.

Mercado Livre de Energia

Compartilhe essa notícia